19 de maio de 2015

Era uma noite qualquer - Por Salomon

               Era uma noite qualquer



          O Sr. Johnson era viúvo e lia seu jornal tranqüilamente enquanto sua filha de dez anos desenhava algo sobre à mesa poucos metros dali. Sua filha nascera prematuramente causando morte da mãe no parto.
          Apos concluir seu desenho ela o quis mostrar a seu pai que estava mais concentrado na leitura. Todavia, o Sr. Johnson já atualizado das noticias que lia em seu jornal, viu o desenho no papel. Depois de dar a folha com o desenho nas mãos do pai ela voltou a mesa e se pôs a desenhar em outra folha. Era estranho mas na folha que Johnson tinha nas mãos sua filha havia desenhado o que parecia ser ele lendo o jornal enquanto ela brincava próximo a um grande vulto escuro e indefinido próximo dela, sentado do outro lado da mesa.
      Intrigado com o desenho curioso de sua filha, ele a questiona sobre o que significa aquilo. Como o esperado ela respondeu dizendo que era ele lendo o jornal e ela brincando de desenhar com sua mãe.

         Estarrecido o pai ainda pergunta:
-Filha, sabe que sua mãe morreu não sabe?- E ela responde balançando a cabeça para cima e depois para baixo. Logo ele continua.
-Você lembra quando ela ainda vivia?
         E ela responde negativamente balançando a cabela para os lados.
-Você a vê por aqui?
         Novamente ela responde balançando a cabeça para cima e depois para baixo sem cessar os rabiscos que fazia sobre a folha  branco.
-Ela esta ai na mesa com você?
         E novamente balançou a cabeça para os lados.
-Então onde você a esta vendo?
-Agora ela esta atrás de você papai.

         O Sr. Johnson sentiu todos os pelos do corpo arrepiarem. Seu coração não suportara tamanhas emoções.

         No novo desenho feito por sua filha, agora ilustrava o vulto atrás do sofá segurando uma enorme foice.




         


     




  Dedicado à: 


Paulo meu chefe, Aquiles (totó), Diezio que agora ta de ferias no Ceará, Douglas um excelente amigo, Raimundo a quem gosto de chamar de Ramones, Falcão que deve ser o único a gostar do que estou escrevendo aqui, à Barbara aquela linda, a Cris nova amizade e revelação dessa nova carreira, à Débora por que gosto demais dela, Melissa que agora é do nosso time de mestres, à Manu Mulatim por que adoro encher o saco dela e por ultimo e não menos importante dessa equipe e industria vital, à Flavia e nosso amiguinho Otto. 


Amo todos vocês.





Nenhum comentário:

Postar um comentário